A ILHA

PastedGraphic-2 (1)

Imagem5

Área da Ilha: 10.139.3 ha ou aproximadamente 100 Km²

Composição da área:

35% de Manguezal
23% de Mata
20% de Campos
12% de Dunas
10% de Salgados

Localização: Nordeste do Brasil

Clima: quente e úmido (2 estações bem definidas – uma chuvosa e outra seca)

Temperatura média anual: 27º

Exemplares da Fauna:

exemplares

A Ilha do Caju

No centro da Ilha estão os campos com os cajueiros, em parte naturais e em parte plantadas.

Daí veio o nome: Ilha do Caju.

Os jesuítas antes de abandonarem a Ilha, teriam enterrado ali um magnífico tesouro, que até hoje ninguém conseguiu encontrá-lo.

Mas, sumiu o ouro, ficou a natureza majestosa da Ilha do Caju, que vem sendo mantida como um santuário ecológico pelo esforço e dedicação de uma família de origem inglesa, que detém a posse da Ilha desde 1847, preservando ali um rico tesouro.

Cinco ecossistemas completos integram a ecologia da ilha: mangues, dunas, matas, campos e alagados de água salgada. Tal variedade faz dela não apenas um paraíso do turismo ecológico e de aventura, mas também um lugar privilegiado para se conhecer, numa área relativamente pequena, toda uma síntese da geografia brasileira.

RPPN – Ilha do Caju (Reserva Particular do Patrimônio Natural) – 102 ha

RPPN-reserva-particular-do-patrimonio-natural-private-natural-reserve-area-102ha

O que é uma RPPN?

Reserva Particular do Patrimônio Natural, ou RPPN, é o nome dado a uma propriedade particular que, devido à sua biodiversidade ou aspecto paisagístico, é declarada “área de conservação da natureza”, gravada com perpetuidade pelo Ibama – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis através do SNUC.

A vontade de proteger é o ponto de partida para o proprietário solicitar ao Ibama que suas terras sejam destinadas à proteção integral. Numa RPPN só podem ser desenvolvidas atividades de turismo ecológico, educação ambiental e pesquisa científica, que não comprometam o equilíbrio ecológico das espécies ali existentes.

Os incentivos para criação de uma reserva particular do patrimônio natural são:
– Isenção do ITR para a área declarada
– Financiamentos de projetos através do fundo nacional do meio ambiente
– Prioridade na concessão de créditos agrícolas
– A área jamais poderá ser desapropriada para fins social uma vez que já cumpre seu papel com a proteção ambiental.

Toda RPPN precisa ter um plano de manejo, ou seja, um documento técnico que define como as atividades deverão ser desenvolvidas para assegurar a conservação da biodiversidade. Para elaborar um plano de manejo leva-se em conta o Roteiro Metodológico de Planejamento para RPPNs elaborado pelo IBAMA.

Requisitos necessários para que uma área seja reconhecida pelo IBAMA como RPPN :

-Tem que haver interesse público e isso significa que sejam identificadas condições naturais primitivas, semiprimitivas, recuperadas ou cujas características justifiquem ações de recuperação, pelo seu aspecto paisagístico, ou para a preservação do ciclo biológico de espécies da fauna ou da flora nativa do Brasil.

– Dentro da RPPN pode-se fazer pesquisa e praticar o turismo de baixo impacto, que seria o ecoturismo, mas sempre sob a orientação e o apoio do IBAMA.

– A RPPN fica gravada com perpetuidade ou seja : será averbada à margem da Inscrição no Registro Imobiliário competente.

* Isenção de imposto = ITR ( Imposto Territorial Rural).

bottom-galeria